A dermatologista Solange Emanuelle Volpato Steckert explica que a acne é uma doença inflamatória que acomete mais os adolescentes, mas pode ocorrer em qualquer idade, e o tratamento é importante para minimizar manchas e cicatrizes. Também ocorre pelo aumento da oleosidade da pele, a presença de bactérias que metabolizam o sebo e também por outros processos inflamatórios identificados durante a consulta dermatológica. “Qualquer pessoa pode ter acne. Por ter caráter genético, se os pais tiveram há grande chance de o filho vir a ter também”, explica a médica.

Antes de pensar no tratamento para a acne, Solange orienta que assim que aparecer as primeiras lesões o paciente deve procurar orientação médica para iniciar o tratamento que, de acordo com a gravidade da acne, pode incluir sabonetes, ácidos, medicamentos de uso controlado, antibióticos tópicos e orais derivados de vitamina A e probióticos. O uso de filtro solar adequado para o tipo de pele é fundamental para não aumentar a oleosidade e reduzir a chance de a pele ficar manchada.

Em casos graves os pacientes podem fazer o uso da Isotretinoína, um potente fármaco indicado para o tratamento da acne severa e da rosácea, e que diminui o tamanho e a atividade das glândulas sebáceas. No entanto, a dermatologista Solange Emanuelle alerta que ao fazer o uso desse medicamento é preciso seguir uma série de restrições e cuidados e que o tratamento tem que ser realizado sob vigilância da dermatologista.

Cessada a parte chamada inflamatória, a dermatologista orienta os pacientes a realizarem os tratamentos para amenizar as cicatrizes. “O acompanhamento do tratamento é fundamental para que possamos concluir esse processo dando ao paciente mais qualidade de vida e autoestima. Ele pode ser indicado a realizar peeling, microagulhamento e o Laser CO2. Importante é saber que há tratamento para esta doença desde que as orientações médicas sejam severamente seguidas”, encerra.

Dra. Solange Emanuelle Volpato Steckert
Dermatologia | CRM/SC 15086 | RQE 16474

Gastro Medical Center – (48) 3030-2930
Centro Catarinense de Cardiologia – (48) 3222-1798