Tricoscopia utiliza imagens para avaliar o couro cabeludo e a haste capilar

O nome até parece estranho: Tricoscopia, no entanto, esse exame realizado por profissionais da área da dermatologia é fundamental no diagnóstico de doenças do couro cabeludo e também da haste capilar. De acordo com a dermatologista Solange Emanuelle Volpato Steckert, que atende em Florianópolis, o procedimento realizado por imagens avalia a presença de descamação, a sua localização, a espessura do fio do cabelo, entre outros aspectos da região.

Para que serve?

Avaliar e diagnosticar algumas doenças e, segundo a dermatologista, principalmente, fazer o diagnóstico precoce do surgimento de quadros de alopecias.

Entre as doenças diagnosticadas estão: alopecia androgenética – a famosa calvície – , o eflúvio telógeno (perda de cabelos decorrente de um distúrbio no ciclo de vida capilar), líquen plano (uma doença inflamatória que afeta o couro cabeludo), alopecia frontal fibrosante (um tipo de queda permanente de cabelos que atinge mais as mulheres), entre outras.

 “O exame é muito utilizado para avaliar a eficácia do tratamento proposto e também para realizar diagnósticos em casos mais difíceis”, destaca a dermatologista.

Como é feito a Tricoscopia?

Uma sessão dura em média 30 minutos e são realizadas fotografias panorâmicas com zoom afim de avaliar o couro cabeludo. Para a realização do mesmo, em alguns casos, será preciso molhar os cabelos.

De acordo com a médica, a rotina do exame varia de acordo com o problema relacionado.

“Nos casos de alopecia é preciso fazer uma avaliação a cada seis meses ou um ano para fazer um melhor acompanhamento do caso”, explica.

A dermatologista destaca ainda que tanto homens, quanto mulheres podem fazer o exame, independentemente da idade.

Dra. Solange Emanuelle Volpato Steckert
Dermatologia | CRM/SC 15086 | RQE 16474

Gastro Medical Center – (48) 3030-2930
Centro Catarinense de Cardiologia – (48) 3222-1798
CEMISC – (48) 3380 0833