Este 7 de abril é marcado como o Dia Mundial da Saúde e muito mais do que propagar sobre a obrigação que cada um de nós tem em buscar incansavelmente ter uma vida saudável, vale citar que a Organização Mundial da Saúde estabeleceu para 2019, 10 medidas para melhorar a saúde em todo o planeta.

Entre as medidas, destacamos a resistência antimicrobiana. É inegável que o avanço tecnológico na medicina tem amenizado o avanço de muitas doenças que até poucos anos eram incuráveis. Nos próximos anos, há a certeza de que muito ainda será apresentado para amenizar a cura de tantas doenças que ainda assombram os consultórios médicos.

Com tudo isso, no entanto, importante ressaltar que a eficiência de antibióticos, antivirais e antimaláricos está acabando. A resistência antimicrobiana – a capacidade de bactérias, parasitas, vírus e fungos resistirem a esses medicamentos – ameaça nos mandar de volta a uma época em que não conseguíamos tratar facilmente infecções como pneumonia, tuberculose, gonorreia e salmonelose. A incapacidade de prevenir infecções pode comprometer seriamente cirurgias e procedimentos como a quimioterapia.

A resistência aos medicamentos contra a tuberculose é um grande obstáculo para combater uma enfermidade que acomete cerca de 10 milhões de pessoas e mata 1,6 milhão delas todos os anos. Em 2017, cerca de 600 mil casos de tuberculose foram diagnosticados como resistentes à rifampicina – droga de primeira linha mais eficaz – e 82% dessas pessoas apresentavam tuberculose multirresistente.

A resistência aos medicamentos é impulsionada pelo uso excessivo de remédios antimicrobianos em pessoas, mas também em animais, especialmente os que são utilizados na produção de alimentos e no meio ambiente.

A OMS trabalha com esses setores para implementar um plano de ação global de combate à resistência antimicrobiana, aumentando a conscientização e o conhecimento sobre o tema, reduzindo as infecções e incentivando a aplicação adequada desses medicamentos.

Fonte: Organização Mundial da Saúde

Dra. Solange Emanuelle Volpato Steckert
Dermatologia | CRM/SC 15086 | RQE 16474

Gastro Medical Center – (48) 3030-2930
Centro Catarinense de Cardiologia – (48) 3222-1798
CEMISC – (48) 3380 0833