17 novembro, data nacional dedicada ao Combate à Tuberculose é um momento de alertamos para essa doença, que mesmo tão antiga, ainda é muito presente e diagnosticada nos consultórios médicos. A Tuberculose é uma doença de natureza infecciosa e transmissível e que no Brasil registra aproximadamente 100 mil novos casos ao ano, situação que foi agravada e mais diagnosticada depois que a Aids tornou-se também um grave problema de saúde pública.

A Tuberculose pode ser diagnosticada em qualquer pessoa, independentemente de sua cor e condição social. Mas é comprovado estatisticamente que a desnutrição, a pobreza, as más condições sanitárias e alta densidade populacional são fatores que contribuem para a disseminação da doença.

O órgão mais afetado pela Tuberculose é o pulmão, mas a doença também pode afetar diversos outros sistemas e áreas do organismo como os ossos, podendo causar fraturas espontâneas e dor, a pele, levando a lesões que podem virar úlceras, o sistema nervoso central, o que pode causar meningite levando a dores de cabeça e, eventualmente, confusão mental e coma. O intestino também pode ser atingido, prejudicando a absorção de alimentos e causando obstrução intestinal, os olhos e a retina, causando perda parcial ou total da visão. Habitualmente, a tuberculose extrapulmonar acomete quem tem algum comprometimento acentuado da imunidade e costuma ser associada à doença pulmonar.

As principais manifestações são o emagrecimento, cansaço, febre baixa no fim do dia, suor à noite e tosse com ou sem expectoração. O diagnóstico pode ser feito pelo exame do escarro, que identifica o bacilo causador da infecção. Exames complementares podem ser solicitados caso este dê negativo e o médico necessite ampliar a investigação.

Se você ou alguém que você conhece apresentar tosse por mais de 30 dias, procure imediatamente orientação médica.